CoDAS
https://codas.org.br/article/doi/10.1590/2317-1782/20202018245
CoDAS
Revisão Sistemática

Vocabulary assessment in Brazilian children: a systematic review with three instruments

Avaliação do vocabulário em crianças brasileiras: revisão sistemática de estudos com três instrumentos

Juliana Carbonieri; Patrícia Silva Lúcio

Downloads: 0
Views: 409

Abstract

Purpose: To investigate, through a systematic review, how three assessment instruments for children’s vocabulary (Test of Childhood language ABFW, Expressive Vocabulary Test – EVT, and Peabody Picture Vocabulary Test – PPVT) have been used in Brazilian research, verifying its purposes of uses and the main results of the researches. Research strategy: This review was organized in three studies. Study 1 referred to the process of a priori search and Study 2 referred to the a posteriori search. We searched for three Brazilian’s database (CAPES, SciELO, and PePSIC). Selection criteria: For Study 1, we selected empirical studies containing research data with one of the three-targeted tests, using typically developing school children (7 to 10 years old). For Study 2, we enlarged the age range for pre-school and extended the search to non-typically developing children. Data analysis: The selected articles were fully read and synthesized in a table containing the study’s aims, the age range of the sample, instrument, research design, main results, and journal. Results: We found out 24 articles, most of which from the speech-language therapy area. The results indicated the predominance of cross-sectional and observational studies, aiming to delineate the cognitive profile of children with some developmental disturbance, with or without control groups. None of the researches conducted a psychometric inquiry of the instruments. Conclusion: In Brazil, it is necessary to carry out research focusing on the psychometric inquiry of instruments for evaluating the vocabulary in pre-school and school-age children.

Keywords

Vocabulary; Systematic Review; ABFW; EVT; Peabody

Resumo

Objetivo: investigar, por meio de revisão sistemática, como três instrumentos de avaliação do vocabulário infantil (Teste de Linguagem Infantil ABFW, Expressive Vocabulary Test – EVT – e Peabody Picture Vocabulary Test – PPVT) têm sido utilizados nas pesquisas brasileiras, verificando seus propósitos de usos e os principais resultados encontrados. Estratégia de pesquisa: a revisão foi organizada em dois estudos. O Estudo 1 referiu-se ao procedimento de busca a priori, e o Estudo 2, ao procedimento de busca a posteriori. Foram consultadas três bases de dados nacionais (CAPES, SciELO e PePSIC). Critérios de seleção: para o Estudo 1, foram selecionados artigos empíricos contendo resultados de pesquisas em um dos testes de interesse, em amostra de crianças com desenvolvimento típico em idade escolar (7-10 anos). Para o Estudo 2, foi ampliada a busca para crianças em idade pré-escolar e com algum tipo de transtorno do desenvolvimento. Análise dos dados: os artigos selecionados foram lidos na íntegra e sintetizados em uma tabela contendo objetivo do estudo, faixa etária da amostra, instrumento, delineamento, principais resultados e periódico de publicação. Resultados: foram encontrados 24 estudos, a maioria na área da Fonoaudiologia. Os resultados indicam predominância de pesquisas transversais e observacionais, que buscaram traçar perfil cognitivo de crianças com algum transtorno do desenvolvimento, utilizando ou não grupos de controle. Nenhuma pesquisa tratou da investigação psicométrica dos instrumentos. Conclusão: mostra-se necessária a condução de pesquisas no Brasil que enfoquem na investigação psicométrica de instrumentos de avaliação do vocabulário em crianças pré-escolares e em idade escolar

Palavras-chave

Vocabulário; Revisão Sistemática; ABFW; EVT; Peabody

Referências

1 Read J. Assessing Vocabulary. 1.ed. Cambridge: Cambridge University Press; 2000. [ Links ]

2 Armonia AC, Mazzega LC, Alcântara Pinto FC, Souza ACR, Perissinoto J, Tamanaha AC. Relação entre vocabulário receptivo e expressivo em crianças com transtorno específico do desenvolvimento da fala e da linguagem. Rev. CEFAC. 2015;17(3):759-65. https://doi.org/10.1590/1982-021620156214. [ Links ]

3 Baumann JF. Vocabulary and reading comprehension: The nexus of meaning. In: Israel SE, Duffy GD. Handbook of research on reading comprehension. Routledge; 2014;347-370. [ Links ]

4 Biemiller A. Vocabulary: needed if more children are to read well. Reading Psychology. 2003;24(3-4):323-35. https://doi.org/10.1080/02702710390227297. [ Links ]

5 Tunmer WE, Chapman JW. The simple view of reading redux: Vocabulary knowledge and the independent components hypothesis. J. Learn. Disabil. 2012;45(5):453-66. [ Links ]

6 Quinn JM, Wagner RK, Petscher Y, Lopez D. Developmental relations between vocabulary knowledge and reading comprehension: A latent change score modeling study. Child Dev. 2015;86(1):159-75. [ Links ]

7 Tibério, CDR. Vocabulário receptivo de crianças de 2 a 6 ano de idade. Uma análise com o teste de vocabulário por imagens Peabody. [Dissertação de Mestrado]. São Paulo (SP): Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; 2017. [ Links ]

8 Andrade CRF, Béfi-lopes DM, Fernandes FDM, Wertzner HF. ABFW: teste de linguagem infantil nas áreas de fonologia, vocabulário, fluência e pragmática. 2 ed. Carapicuíba: Pró-Fono; 2004. [ Links ]

9 Dunn LM, Dunn LM. Peabody Picture Vocabulary Test. revised. Circle Pines: American Guidance Service; 1981. [ Links ]

10 Williams K. Expressive Vocabulary Test. 1.ed. Circle Pines: American Guidance Service; 1997. [ Links ]

11 Befi-Lopes DM. Vocabulário. In: Andrade CRF, Befi-Lopes DM, Fernandes FDM, Wertzner HF. ABFW Teste de Linguagem Infantil nas áreas de Fonologia, Vocabulário, Fluência e Pragmática. Carapicuíba: Pró-Fono; 2004;41-60. [ Links ]

12 Capovilla F. Capovilla A. Nunes L. Araújo I. Nunes D. Nogueira D. Bernat AB. Versão brasileira do teste de vocabulário por imagens peabody: dados preliminares. Distúrbios da Comunicação. 1997;8(2):151-162. [ Links ]

13 Capovilla FC. Macedo EC. Capovilla AG. Thiers VO. Duduchi M. Versões computadorizadas de testes psicométricos tradicionais: estendendo as fronteiras da psicometria para abarcar populações especiais. Boletim de Psicologia. 1997;47(106):1-19. [ Links ]

14 Capovilla FC. Thiers VO. Macedo EC. Avaliação cognitiva de crianças com severos distúrbios motores: versões computadorizadas normatizadas e validadas de testes de vocabulário, compreensão auditiva, leitura e inteligência geral. In: Capovilla FC. (Org.). Neuropsicologia e aprendizagem: uma abordagem multidisciplinar. 2. ed. São Paulo: Memnon. 2002:205-218. [ Links ]

15 Athayde ML, Carvalho Q, Mota HB. Vocabulário expressivo de crianças com diferentes níveis de gravidade de desvio fonológico. Rev. CEFAC. 2009;11(2):161-8. https://doi.org/10.1590/S1516-18462009000600005. [ Links ]

16 Athayde ML, Mota HB, Mezzomo CL. Vocabulário expressivo de crianças com desenvolvimento fonológico normal e desviante. Pró-Fono R. Atual. Cient. 2010;22(2):145-50. https://doi.org/10.1590/S0104-56872010000200013 [ Links ]

17 Bandini, HHM, Santos FH, Souza DG. 2013. Levels of Phonological Awareness, Working Memory, and Lexical Knowledge in Elementary School Children. Paideia. 2013;23(56):329-38. https://doi.org/10.1590/1982-43272356201307. [ Links ]

18 Befi-Lopes DM, Nuñes CO, Cáceres AM. Correlação entre vocabulário expressivo e extensão média do enunciado em crianças com alteração específica de linguagem. Rev. CEFAC. 2013;15(1):51-7. https://doi.org/10.1590/S1516-18462012005000017. [ Links ]

19 Brancalioni A, Zaura A, Karlinski CD, Quitaiski LF, Thomaz MFO. Desempenho do vocabulário expressivo de pré-escolares de 4 a 5 anos da rede pública e particular de ensino. Audiol. Commun. Res. 2018;23:1-9. https://doi.org/10.1590/2317-6431-2016-1836. [ Links ]

20 Colalto CA, Goffi-Gomez MVS, Magalhães ATM, Samuel PA, Hoshino ACH, Porto BL, Tsuji RK. Vocabulário expressivo em crianças usuárias de implante coclear. Rev. CEFAC. 2017;19(3):308-19. https://doi.org/10.1590/1982-021620171937216. [ Links ]

21 Costa RCC, Ávila CRB. 2010. Competência lexical e metafonológica em pré-escolares com transtorno fonológico. Pró-Fono R. Atual. Cient. 2010;22(3):189-194. https://doi.org/10.1590/S0104-56872010000300006. [ Links ]

22 Dias APBH, Vasconcelos MM, Maia Filho HS, Brito AR, Vairo GPT, Souza LBR. Assessment of pragmatic language in verbal and nonverbal autistic children. Rev. Logop. Foniatr. Audiol. 2016;36(1):15-22. https://doi.org/ 10.1016/j.rlfa.2015.02.001. [ Links ]

23 Ferreira MIO, Dornelas SA, Teófilo MMM, Alves LM. Avaliação do vocabulário expressivo em crianças surdas usuárias da língua brasileira de sinais. Rev. CEFAC. 2011;14(1):09-17. https://doi.org/10.1590/S1516-18462011005000059. [ Links ]

24 Ferreira-Vasques AT, Abramides DVM, Lamônica DAC. Consideração da idade mental na avaliação do vocabulário expressivo de crianças com Síndrome de Down. Rev. CEFAC. 2017;19(2):253-9. https://doi.org/10.1590/1982-0216201719216516. [ Links ]

25 Fortunato-Tavares T, Andrade CRF, Befi-Lopes, DM, Hestvik A, Epstein B, Tornyova L, Schwartz RG. 2012. Syntactic Structural Assignment in Brazilian Portuguese-Speaking Children with Specific Language Impairment. J. Speech. Lang. Hear. Res. 2012;55(4):1097-112. https://doi.org/10.1044/1092-4388(2011/10-0215). [ Links ]

26 Granzotti RBG, Negrini SFBM, Fukuda MTH, Takayanagui OM. Aspectos da linguagem em crianças infectadas pelo HIV. Rev. CEFAC. 2013;15(6):1621-6. https://doi.org/10.1590/S1516-18462013005000017. [ Links ]

27 Kaminski TI, Mota HB, Cielo CA. 2011. Consciência fonológica e vocabulário expressivo em crianças com aquisição típica da linguagem e com desvio fonológico. Rev. CEFAC. 2011;13(5):813-25. https://doi.org/10.1590/S1516-18462011005000019. [ Links ]

28 Lamônica DAC, Ferreira-Vasques AT. Habilidades comunicativas e lexicais de crianças com Síndrome de Down: reflexões para inclusão escolar. Rev. CEFAC. 2015;17(5):1475-82. https://doi.org/10.1590/1982-021620151756015. [ Links ]

29 Medeiros VP, Valença RKL, Guimarães JATL, Costa RCC. Vocabulário expressivo e variáveis regionais em uma amostra de escolares de Maceió. Audiol. Commun. Res. 2013;18(2):71-7. https://doi.org/10.1590/S2317-64312013000200004. [ Links ]

30 Misquiatti ARN, Nakaguma PG, Brito MC, Olivati, AG. Desempenho de vocabulário em crianças pré-escolares institucionalizadas. Rev. CEFAC. 2015;17(3):783-91. https://doi.org/10.1590/1982-0216201513814. [ Links ]

31 Mota HB, Kaminski TI, Nepomuceno MRF, Athayde ML. Alterações no vocabulário expressivo de crianças com desvio fonológico. Rev. Soc. Bras. Fonoaudiol. 2009;14(1):41-7. https://doi.org/10.1590/S1516-80342009000100009. [ Links ]

32 Passaglio NJS, Souza MA, Souza VC, Scopel RR, Lemos SMA. Perfil fonológico e lexical: inter-relação com fatores ambientais. Rev. CEFAC. 2015;17(4):1071-8. https://doi.org/10.1590/1982-0216201517419813. [ Links ]

33 Pupo AC, Esturaro GT, Barzaghi L, Trenche MCB. Perda auditiva unilateral em crianças: avaliação fonológica e do vocabulário. Audiol. Commun. Res. 2016;21:1-8. https://doi.org/10.1590/2317-6431-2016-1695. [ Links ]

34 Araújo MVM, Martelero MRF, Schoen-Ferreira TH. Avaliação do vocabulário receptivo de crianças pré-escolares. Estud. Psicol. 2010;27(2):169-76. https://doi.org/10.1590/S0103-166X2010000200004. [ Links ]

35 Lamônica DAC, Ferraz PMDP. Leucomalácia periventricular e diplegia espástica: implicações nas habilidades psicolinguísticas. Pró-Fono R. Atual. Cient. 2007;19(4):357-62. https://doi.org/10.1590/S0104-56872007000400006. [ Links ]

36 Oliveira CGT, Enumo SRF, Queiroz SS, Azevedo Jr RR. Indicadores Cognitivos, Linguísticos, Comportamentais e Acadêmicos de Pré-Escolares Nascidos Pré-Termo e a Termo. Psic.: Teor. e Pesq. 2011;27(3):283-91. https://doi.org/10.1590/S0102-37722011000300003. [ Links ]

37 Ferreira AT, Lamônica DAC. Comparação do léxico de crianças com Síndrome de Down e com desenvolvimento típico de mesma idade mental. Rev. CEFAC. 2012;14(5):786-91. https://doi.org/10.1590/S1516-18462011005000041. [ Links ]

38 Matos IB, Toassi RFC, Oliveira, MC. Profissões e ocupações de saúde e o processo de feminização: tendências e implicações. Athenea Digital. 2013;13(2):239-44. [ Links ]

39 Urbina S. Essentials of psychological testing. Hoboken, NJ: John Wiley & Sons.2014. [ Links ]


Submetido em:
01/10/2018

Aceito em:
29/07/2019

5f35bfdb0e88259c7b58729c codas Articles

CoDAS

Share this page
Page Sections