CoDAS
https://codas.org.br/article/doi/10.1590/2317-1782/20232022007en
CoDAS
Artigo Original

Activities and participation of children with language disorders in outpatient care according to the ICF

Atividades e participação de crianças com transtornos de linguagem em atendimento ambulatorial segundo a CIF

Gabriela Damaris Ribeiro Nogueira; Stela Maris Aguiar Lemos; Denise Brandão de Oliveira e Britto

Downloads: 1
Views: 231

Abstract

Purpose

To identify the main categories of the Activities and Participation component of the International Classification of Functioning, Disability, and Health and to verify the association with age, gender, education, and speech therapy diagnosis in children who are assisted by an oral language clinic.

Methods

This is an analytical and cross-sectional observational study, carried out with secondary data from 32 medical records of children with the majority male, mean age of 41.03 months, in early childhood education and language disorder associated with other conditions. The main speech-language pathology manifestations were coded according to the pre-selected categories of the Activities and Participation component, and descriptive and bivariate statistical analyzes were performed, and the Fisher's Exact test was used with a significance level of 5%.

Results

The descriptive analysis of the pre-selected categories allowed us to verify a high number of “Not informed” answers, with a higher percentage in vocal expression without speech (d331) performance (93.8%), making decisions (d177) ability (90.6%), problem solving (d175) performance (65.6%) and capacity (87.5%), reception of oral messages (d310) performance (65.6%) and eating (d550) capacity (65.6%). Among the 24 categories selected, 12 jointly contemplated the Qualifiers of Performance and Capacity. There was a statistically significant association between the three categories with sociodemographic data and speech therapy diagnoses.

Conclusion

Difficulties were identified in several categories of the Activities and Participation component and statistically significant associations between them and sociodemographic data and speech therapy diagnoses, showing the impacts of oral language disorders on the activities and participation of children assisted in an outpatient speech therapy service.

Keywords

Child Language; Language Development; Language Development Disorders; Child; International Classification of Functioning; Disability and Health

Resumo

Objetivo

Identificar as principais categorias do componente Atividades e Participação da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde, bem como os possíveis qualificadores de Capacidade e Desempenho, e verificar suas associações com idade, sexo, escolaridade e diagnóstico fonoaudiológico em crianças atendidas em um ambulatório de linguagem oral.

Método

Trata-se de estudo observacional analítico e transversal, realizado com dados secundários de 32 prontuários de crianças com maioria do sexo masculino, média de idade de 41,03 meses, em ensino infantil e transtorno de linguagem associado a outras condições. Foi realizada a codificação das principais manifestações fonoaudiológicas segundo as categorias do componente Atividades e Participação pré-selecionadas e realizadas análises estatísticas descritivas e bivariadas e uso do teste Exato de Fisher com nível de significância de 5%.

Resultados

A análise descritiva das categorias pré-selecionadas permitiu verificar um número alto de respostas “Não informado”, com maior porcentagem em expressão vocal sem fala (d331) desempenho (93,8%), tomar decisões (d177) capacidade (90,6%), resolver problemas (d175) desempenho (65,6%) e capacidade (87,5%), recepção de mensagens orais (d310) desempenho (65,6%) e comer (d550) capacidade (65,6%). Dentre as 24 categorias selecionadas, 12 contemplaram conjuntamente os qualificadores de Desempenho e Capacidade. Houve associação com significância estatística entre as categorias (d175, d815 e d350) com dados sociodemográficos e diagnósticos fonoaudiológicos.

Conclusão

Foram identificadas dificuldades em categorias do componente Atividades e Participação e associações com significância estatística entre elas e os dados sociodemográficos e diagnósticos fonoaudiológicos, evidenciando impactos dos transtornos de linguagem oral nas atividades e participação de crianças atendidas em um serviço ambulatorial.

Palavras-chave

Linguagem Infantil; Desenvolvimento da Linguagem; Transtornos do Desenvolvimento da Linguagem; Criança; Classificação Internacional de Funcionalidade; Incapacidade e Saúde

Referências

  1. Souza RPF, Cunha DA, Silva HJ. Fonoaudiologia: a inserção da área de Linguagem no Sistema Único de Saúde (SUS). Rev CEFAC. 2005;7(4):426-32.
  2. Ostroschi DT, Zanolli ML, Chun RYS. Percepção de familiares de crianças e adolescentes com alteração de linguagem utilizando a Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF-CJ). CoDAS. 2017;29(3):e20160096. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20172016096 PMid:28538828.
  3. Dempsey L, Skarakis-Doyle E. Developmental language impairment through the lens of the ICF: an integrated account of children’s functioning. J Commun Disord. 2010;43(5):424-37. http://dx.doi.org/10.1016/j.jcomdis.2010.05.004 PMid:20538283.
  4. Santana MTM, Chun RYS. Linguagem e funcionalidade de adultos pós-Acidente Vascular Encefálico (AVE): avaliação baseada na Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). CoDAS. 2017;29(1):e20150284. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20172015284 PMid:28300953.
  5. Organização Pan-Americana da Saúde. Organização Mundial de Saúde. Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde. São Paulo: EDUSP; 2020.
  6. ASHA: American Speech-Language-Hearing Association [Internet]. Rockville: American Speech-Language-Hearing Association; c2016 [citado em 2022 Ago 15]. Disponível em: www.asha.org/policy
  7. Biz MCP, Chun RYS. Operacionalização da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde, CIF, em um Centro Especializado em Reabilitação. CoDAS. 2020;32(2):e20190046. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20192019046 PMid:31851217.
  8. Zorzi JL, Hage SRV. PROC - protocolo de observação comportamental: avaliação de linguagem e aspectos cognitivos infantis. São José dos Campos: Pulso Editorial; 2004.
  9. Menezes MLN. ADL: Avaliação do Desenvolvimento da Linguagem. São Paulo: Pró-Fono; 2004.
  10. Chiari BM, Basilio CS, Nakagawa EA, Cormedi MA, Silva NSM, Cardoso RM, et al. Proposta de sistematização de dados da avaliação fonoaudiológica através da observação de comportamentos de criança de 0 a 6 anos. Pro Fono. 1991;3(2):29-36.
  11. Andrade CRF, Béfi-Lopes DM, Fernandes FDM, Wertzner WH. ABFW: teste de linguagem infantil nas áreas de Fonologia, Vocabulário, Fluência e Pragmática. Carapicuíba: Pró-Fono; 2004.
  12. Capovilla FC, organizador. Teste de Vocabulário por Figuras USP (Tvfusp). São Paulo: Memnon; 2011.
  13. Capovilla FC, Negrão VB, Damazio M. Teste de Vocabulário Auditivo e Teste de Vocabulário Expressivo. São Paulo: Memnon; 2011.
  14. Gomes HB, Schrer JF, Ardenghi LG. Caracterização de perfil e evolução de crianças em terapia fonoaudiológica no Sistema Único de Saúde (SUS). Braz J Dev. 2020;6(10):82564-73.
  15. Bittencourt AM, Rockenbach SP. Perfil dos pacientes de fonoaudiologia atendidos em uma unidade básica de saúde. Rev Iniciaç Cient ULBRA. 2018;16:78-87.
  16. Longo IA, Tupinelli GG, Hermógenes C, Ferreira LV, Molini-Avejonas DR. Prevalence of speech and language disorders in children in the western region of São Paulo. CoDAS. 2017;29(6):e20160036. PMid:29160334.
  17. Mandrá PP, Diniz MV. Caracterização do perfil diagnóstico e fluxo de um ambulatório de Fonoaudiologia hospitalar na área de Linguagem Infantil. Rev Soc Bras Fonoaudiol. 2011;16(2):121-5. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342011000200003
  18. Farias IKMS, Araúdo ANB, Nascimento CMB, Xavier IALN, Vilela MBR. Caracterização dos atendimentos realizados numa Clínica Escola de Fonoaudiologia conveniada à rede Sistema Único de Saúde - SUS. Rev CEFAC. 2020;22(1):e10119. http://dx.doi.org/10.1590/1982-0216/202022110119
  19. Sideri KP, Botega MBS, Chun RYS. Perfil populacional de Grupo de Avaliação e Prevenção de Alterações de Linguagem (GAPAL). Audiol Commun Res. 2015;20(3):269-73. http://dx.doi.org/10.1590/2317-6431-ACR-2015-1548
  20. Borges MGS, Medeiros AM, Lemos SMA. Caracterização de aspectos fonoaudiológicos segundo as categorias da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde para Crianças e Jovens (CIF-CJ). CoDAS. 2018;30(4):e20170184. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20182017184 PMid:30110109.
  21. Thomas-Stonell N, Oddson B, Robertson B, Rosenbaum P. Predicted and observed outcomes in preschool children following speech and language treatment: parent and clinician perspectives. J Commun Disord. 2009;42(1):29-42. http://dx.doi.org/10.1016/j.jcomdis.2008.08.002 PMid:18835607.
  22. Pinto FCA, Schiefer AM, Perissinoto J. A anamnese fonoaudiológica segundo os preceitos da Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde (CIF). Distúrb Comun. 2018;30(2):252-65. http://dx.doi.org/10.23925/2176-2724.2018v30i2p-252-265
  23. Zerbeto AB, Chun RYS, Zanolli ML. Contribuições da CIF para uma abordagem integral na atenção à Saúde de Crianças e Adolescentes. CoDAS. 2020;32(3):e20180320. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20202018320 PMid:32638827.
  24. Rodrigues MC, Dias JP, Freitas MFRL. Resolução de problemas interpessoais: promovendo o desenvolvimento sociocognitivo na escola. Psicol Estud. 2010;15(4):831-9. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-73722010000400019
  25. Mazzarotto IHEK, Berberian AP, Massi G, Cunha JT, Tonocchi R, Barbosa APB. School referrals of children with writing difficulties: an analysis of the position adopted by their family. Rev CEFAC. 2016;18(2):408-16. http://dx.doi.org/10.1590/1982-0216201618211615
  26. Borges MGS, Medeiros AM, Lemos SMA. Classificação Internacional de Funcionalidade, Incapacidade e Saúde para Crianças e Jovens (CIF-CJ) e Fonoaudiologia: associação com fatores sociodemográficos e clínico-assistenciais. CoDAS. 2020;32(3):e20190058. http://dx.doi.org/10.1590/2317-1782/20202019058 PMid:32609224.
  27. Williams EMO, Denucci MAM, Ribeiro JM, Carvalho TM, Rodrigues ALC. Linguagem escrita: o trabalho da fonoaudiologia na educação infantil com as habilidades preditoras da alfabetização. Braz J Dev. 2021;7(6):55212-27. http://dx.doi.org/10.34117/bjdv7n6-094
  28. Alba TC, Pérez-Pereira M. Habilidades pragmáticas en niños con TEA, TDAH, síndrome de Down y desarrollo típico según la versión gallega del CCC-2. Rev Logop Fon Audiol. 2019;39(3):105-14.
64ff5aada953953e744c2914 codas Articles

CoDAS

Share this page
Page Sections