CoDAS
https://codas.org.br/article/doi/10.1590/2317-1782/20202019245
CoDAS
Artigo Original

Orthography of phonemes /l/ and /ɾ/ in complex positions in children’s writing: a comparative analysis

Ortografia dos fonemas /l/ e /ɾ/ em posições complexas na escrita infantil: uma análise comparativa

Mirian Verza Amarante; Suellen Vaz; Cristyane Villega; Lourenço Chacon

Downloads: 0
Views: 55

Abstract

Introduction: Assuming that errors are actually hits attempts, and may mark the child’s conflicts with the orthographic system, we investigated the orthographic record of two phonemes that refer to the class of liquids: /l/ and /ɾ/. Objective: (1) to compare the orthographic accuracy, in the complex onset and coda syllable positions, of the phonemes spelling /l/ and /ɾ/; (2) to verify, among the errors, their most frequent typesr. Method: We analyzed 53 textual productions of children of the 1st year of the cycle I of the elementary school of a public school in a city of the state of São Paulo. To respond to the objectives, initially all occurrences of the phonemes /l/ and /ɾ/ were separated in the complex onset position and coda syllabic position. Then, the records were categorized as hits and errors. Errors were also classified as omission, transposition and substitution. Results: In the complex syllabic onset and syllable coda, a higher number of hits was found when compared to the number of errors. As for the types of errors, in the complex onset position, all corresponded to omissions; in the coda, omissions prevailed, followed by substitutions and transpositions. Conclusion: The results suggest that the child’s perception of the relations between phonemes and graphemes does not depend directly on these relations, since this correspondence may be affected by other phonological aspects disregarded in these relations, such as syllable positions

Keywords

Handwriting; Language; Phonetics; Child; Speech Language and Hearing Sciences

Resumo

Introdução: Assumindo-se que erros são, na verdade, tentativas de acertos, podendo marcar conflitos da criança com o sistema ortográfico, investigou-se o registro ortográfico de dois dos fonemas que remetem à classe das líquidas: /l/ e /ɾ/. Objetivo: (1) comparar a acurácia ortográfica, nas posições silábicas de ataque complexo e de coda, da grafia dos fonemas /l/ e /ɾ/; (2) verificar, dentre os erros, seus tipos mais frequentes. Método: Foram analisadas 53 produções textuais de crianças do 1º ano do ciclo I do ensino fundamental (EF) de uma escola pública do interior de São Paulo. Para responder aos objetivos, inicialmente foram separadas todas as ocorrências dos fonemas /l/ e /ɾ/ na posição de ataque complexo e de coda silábica. Posteriormente, os registros foram categorizados como acertos e erros. Os erros foram, ainda, classificados como omissão, transposição e substituição. Resultados: No ataque silábico complexo e na coda silábica, foi encontrado maior número de acertos quando comparado com o número de erros. Quanto aos tipos de erros, no ataque complexo, todos corresponderam a omissões; já na coda, as omissões prevaleceram, seguidas das substituições e das transposições. Conclusão: Os resultados sugerem que a percepção que a criança tem das relações entre fonemas e grafemas não depende diretamente dessas relações, já que essa correspondência pode ser afetada por outros aspectos fonológicos desconsiderados nessas relações, como as posições silábicas.

Palavras-chave

Escrita Manual; Linguagem; Fonética; Criança; Fonoaudiologia

Referências

1 Da Silva BC, Lorezon M, Bublitz GK. "Ele não escreve, nem lê": análise da consciência fonológica em crianças com dificuldades de aprendizagem. Rev Destaques Acadêmicos. 2015; 7(2): 1-8. [ Links ]

2 Guaresi R, Oliveira JS, Oliveira E, Teixeira L. A consciência fonológica e o vocabulário no aprendizado da leitura e da escrita na alfabetização. Rev (Con) textos Linguísticos. 2017; 11(18): 97-109. [ Links ]

3 Wilsenach Carien. Phonological awareness and reading in Northern Sotho-Understanding the contribution of phonemes and syllables in Grade 3 reading attainment. South African Journal of Childhood Education. 2019; 9(1): 1-10. http://dx.doi.org/10.4102/sajce.v9i1.647. [ Links ]

4 Germano GD, Pinheiro FB, Capellini SA. Desempenho de escolares com dislexia: pro-gramas de intervenção metalinguístico e de leitura. Psicologia Argumento. 2017; 31(72): 11-22. http://dx.doi.org/10.7213/psicol.argum.7597. [ Links ]

5 Dias RF, Mezzomo CL. Efeitos da estimulação de habilidades em consciência fonológica na reorganização do sistema fonológico: relato de caso. Distúrbios Comun. 2018; 30(2): 266-277. https://doi.org/10.23925/2176-2724.2018v30i2p-266-277. [ Links ]

6 Leite RCD, Brito LRM, Martins-Reis VO, Pinheiro AMV. Consciência fonológica e fatores associados em crianças no início da alfabetização. RevPsicopedagogia. 2018; 35(108): 306-317. [ Links ]

7 Costa ST, Campos VC, Aranha MBR, Araújo FE. Marcas da oralidade nas produções textu-ais dos alunos do ensino médio da escola ce humberto de campos na cidade de humberto de campos-ma. ACTAS. 2016; 3: 1-8. [ Links ]

8 Miranda ARM. As sílabas complexas: fonologia e aquisição da linguagem oral e escrita. Fórum Linguístico. 2019; 16(2): 3825-3848. https://doi.org/10.5007/1984-8412.2019v16n2p3825. [ Links ]

9 Silva NSM, Crenitte PAP. Comparação de escolares de escolas privadas e públicas quanto ao desempenho ortográfico. CoDAS. 2015; 27(2): 113-118. https://doi.org/10.1590/2317-1782/20152014002. [ Links ]

10 Chacon L, Pezarini IO. Gradiência na correspondência fonema/grafema: uma proposta de caracterização do desempenho ortográfico infantil. In: César ABP, Seno MP, Capellini SA. Tópicos em Transtornos de Aprendizagem: Parte VI. Ribeirão Preto: Chacon, L.; Pezarini, I. O. Gradiência na correspondência fonema/grafema: uma proposta de caracterização do desempenho ortográfico infantil. In: César ABP, Seno MP, Capellini SA. Tópicos em Transtornos de Aprendizagem: Parte VI. Ribeirão Preto: Booktoy Livraria e Editora, 2018. [ Links ]

11 Chacon L, Paschoal L, Vaz S, Pezarini IO. Classes fonológicas e ortografia infantil. Revista do GELNE. 2016 18(2): 70-99. [ Links ]

12 Wiethan F M, Melo RM, Mota HB. Consoantes líquidas: ocorrência de estratégias de reparo em diferentes faixas etárias e gravidades do desvio fonológico. Rev CEFAC. 2010; 13(4): 607-16. https://doi.org/10.1590/S1516-18462010005000141. [ Links ]

13 Miranda ARM. A fonologia em dados de crianças brasileiras. Linguística. 2014; 30: 45-80. [ Links ]

14 Vaz S, Pezarini IO, Paschoal L, Chacon L. Characteristics of the acquisition of sonorant conso-nants orthography in Brazilian children from a São Paulo municipality. CoDAS. 2015; 27(3): 230-235. https://doi.org/10.1590/2317-1782/20152014114. [ Links ]

15 Ferreira AA, Silva ACFS, Queiroga BAM. A aprendizagem da escrita e a escolaridade ma-terna. Rev. CEFAC. 2014; 16(2): 446-456. https://doi.org/10.1590/1982-021620146512. [ Links ]

16 Gonçalves-Guedim TF, Capellato IV, Salgado-Azoni CA, Ciasca SM, Crenitte PAP. Desem-penho do processamento fonológico, leitura e escrita em escolares com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Rev. CEFAC. 2017; 19(2): 242-252. https://doi.org/10.1590/1982-0216201719220815. [ Links ]

17 Dos Santos MTM, Befi-lopes DM. Análise da produção de narrativa escrita de escolares do ensino fundamental. Distúrbios Comun. 2016; 28(2): 231-243. [ Links ]

18 Sotomayor C, Molina D, Bedwell P, Hernández C. Caracterización de problemas ortográfi-cos recurrentes en alumnos de escuelas municipales chilenas de 3º, 5º y 7º básico. Re-vista signos. 2013; 46(81): 105-131. http://dx.doi.org/10.4067/S0718-09342013000100005. [ Links ]

19 CIAE: Centro de Investigación Avanzada em Educación [internet] Bedwell P, Domínguez AM, Sotomayor C, Gómes G, Jéldrez E. Caracterización de problemas ortográficos recur-rentes en alumnos de cuarto básico. Disponible en www. ciae. uchile. cl/download. php, 2014. http://dx.doi.org/10.4067/S0718-09342013000100005. [ Links ]

20 Schafer CM, Quintaiski LF, Giacchinni V. Desempenho em consciência fonológica e erros de escrita de crianças submetidas a diferentes métodos de alfabetização. Distúrbios Comun. 2017; 29(2): 318-329. https://doi.org/10.23925/2176-2724.2017v29i2p318-329. [ Links ]

21 Paschoal LA, Pezarini IO, Vaz S, Chacon. Characteristics of fricatives consonants orthography in Brazilian children. Communication Research. 2014; 19(4): 333-337. https://doi.org/10.1590/S2317-64312014000400001448. [ Links ]

22 Pezarini IO, Paschoal LA, Vaz S, Chacon L. Relações entre aspectos ortográficos e fonético-fonológicos de fonemas oclusivos. Revista CEFAC. 2015; 17(3): 775-782. https://doi.org/10.1590/1982-0216201515314. [ Links ]

23 Cagliari LC. Elementos de fonética do português brasileiro. São Paulo: Paulistana; 2009. [ Links ]

24 Jakobson R. Fonema e Fonologia. Trad. Joaquim Camara Jr. In: SAUSSURE, F. et al; 1978. Textos Selecionados. São Paulo: Abril Cultural; p. 55- 117. [ Links ]

25 Selkirk EO. The syllable. The structure of phonological representations. Dorddrecht: Foris; 1982; p. 337-379. [ Links ]

26 Clements GN. The role of the sonority cicly in core syllabifications. Papers in laboritory fonology. 1990; 1: 283-333. https://doi.org/10.1017/CBO9780511627736.017. [ Links ]

27 Amaral AS, Freitas MCC, Chacon L, Rodrigues LL. Omissão de grafemas e características da sílaba na escrita infantil. Revista CEFAC. 2011; 1-10. https://doi.org/10.1590/S1516-18462011005000007. [ Links ]

5fd23f4f0e88255e0a014ba3 codas Articles

CoDAS

Share this page
Page Sections